On.CORPORATE

Portugal | Alerta Fiscal | IRS – Declaração Automática de Rendimentos

Foi publicado o Decreto Regulamentar n.º 1/2019 de 4 de fevereiro, que actualiza a lista dos Contribuintes abrangidos pela declaração automática de rendimentos.

Deste modo, esta declaração aplica-se aos sujeitos passivos de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) que preencham cumulativamente as seguintes condições:

  1. Apenas tenham auferido rendimentos do trabalho dependente ou de pensões, com exclusão de rendimentos de pensões de alimentos, bem como de rendimentos tributados pelas taxas previstas no artigo 71.º do Código do IRS e não pretendam, quando legalmente permitido, optar pelo seu englobamento;
  2. Obtenham rendimentos apenas em território português, cuja entidade devedora ou pagadora esteja obrigada à comunicação de rendimentos e retenções prevista no artigo 119.º do Código do IRS;
  3. Não aufiram gratificações previstas na alínea g) do n.º 3 do artigo 2.º do Código do IRS;
  4. Sejam considerados residentes durante a totalidade do ano a que o imposto respeita;
  5. Não detenham o estatuto de residente não habitual;
  6. Não usufruam de benefícios fiscais, exceto os relativos à dedução à coleta do IRS por valores aplicados em planos de poupança -reforma e ao regime do mecenato, previstos, respetivamente, nos capítulos II e X do Estatuto dos Benefícios Fiscais, aprovado pelo Decreto- Lei n.º 215/89, de 1 de julho, na sua redação atual (EBF), e desde que não se verifiquem, em 31 de dezembro do ano a que respeita a declaração automática, as situações previstas nas alíneas a) e b) do n.º 5, por remissão do n.º 6 do artigo 14.º do EBF;
  7. Não tenham pago pensões de alimentos;
  8. Não tenham deduções relativas a ascendentes; e
  9. Não tenham acréscimos ao rendimento por incumprimento de condições relativas a benefícios fiscais.
PDF